06/08/2018

ESTUDAR COM A TV PARA TER UM FOCO-LASER

por Noa Kageyama, publicado originalmente no site The Bulletproof Musician

A data é sábado, 23 de fevereiro de 1991. O violinista Isaac Stern está solando um concerto de Mozart com a Filarmônica de Israel, Zubin Mehta regendo, quando é interrompido por sirenes que sinalizam um ataque aéreo de mísseis Scud.

A orquestra sai do palco para colocar equipamento de proteção; o público permanece em seu lugar usando máscaras de gás. Stern retorna ao palco sem máscara de gás, e começa a tocar a Sarabande da Partita em Re menor de Bach.

A maioria de nós nunca se apresentará em condições como essa, mas por um momento, imagine. Como alguém pode continuar concentrado na performance quando a possibilidade de um ataque de mísseis é tão real e iminente?



Foco de atenção

Nossa capacidade de focar - direcionar nossa atenção onde quisermos, quando quisermos e por quanto tempo quisermos - é um ingrediente essencial não apenas para dominar o medo do palco (ou se concentrar durante um ataque de míssil iminente), mas também em performances de nível máximo.

Ondas Beta

Infelizmente, quando entramos no palco e a adrenalina bate, nossa atenção fica como um cachorrinho hiperativo que tomou café demais. Por um lado, nosso cérebro entra em overdrive e literalmente acelera. Conecte seu cérebro a um dispositivo que mede a atividade das ondas cerebrais, e você verá que quando estiver sob estresse seu cérebro produzirá ondas cerebrais conhecidas como ondas Beta, que oscilam de 13 a 30 ciclos por segundo. Faz sentido, pois se você estivesse em perigo, seria bom poder pensar mais rápido, processar mais informações em menos tempo e tomar decisões mais rapidamente. Mas claro, é o ritmo mais lento de 8-12 ciclos por segundo das ondas alfa que os estudos sugerem ser o mais propício à criatividade e ao desempenho de alto nível.

Sentidos aguçados

Não é só o seu cérebro que está indo mais rápido, mas os seus sentidos também aguçam um pouco sob pressão. É mais provável que você fique sensível a todo tipo de estímulos irrelevantes ao seu redor, seja movimento na coxia ou na plateia, barulho de papel de bala ou sentir de repente que seus sapatos estão muito apertados. Isso pode ser uma distração, para dizer o mínimo, e agora você tem menos recursos disponíveis para processar os detalhes importantes relacionados à música e ao desempenho.

Choque de realidade

Agora compare isso com o que estamos acostumados. A sala de estudo e de ensaio são ambientes muito controlados, onde os fatores externos também são, em sua maioria, controlados. A temperatura não é nem muito quente nem muito fria, as luzes não são muito claras nem muito escuras, a sala é silenciosa e a acústica é familiar. As condições são ideais e nosso cérebro está processando informações em uma velocidade normal. É uma configuração bem confortável, que nos prepara para tomar um choque de realidade quando entramos no palco e de repente tudo é diferente.

Com tantas coisas brigando pela nossa atenção em audições e performances, como podemos nos treinar para estar mais focados no que importa e permanecer imunes a essas distrações externas?

Televisão.

Oi?

TV é ruim

A TV geralmente tem uma má reputação na mídia, com os pais e os educadores. Alguns dizem que ela encurta nossa atenção, outros dizem que assistir TV aumenta nosso risco de morrer e que é a pior invenção da história da humanidade. Bem, deixando tudo isso de lado, a TV é bastante envolvente. Pode ser difícil ignorar a TV quando ela está ligada. Não acredita em mim? Tente ter uma conversa profunda e significativa com alguém sentado em frente à televisão.

Podemos usar o poder de sugação-de-atenção da TV a nosso favor. A televisão será a sua nova companheira no treinamento de atenção.

TV é sua amiga

Eis o exercício.

1. Selecione uma peça que você conhece bastante e consegue tocar muito bem.

2. Ligue a TV, volume bem baixo no começo

3. De pé na frente da TV, centre-se, e comece a tocar sua peça, tratando todo esse simulado de performance como se fosse um concerto real.

4. Quão bem você conseguiu se concentrar no seu desempenho? Quando sua atenção saiu vagando por aí? Veja se você consegue descobrir o porquê - o que o levou a transferir sua atenção da música para a TV? Lembre-se: se você não souber onde colocar sua atenção, a TV vencerá por padrão. Revise o post sobre intenções claras para ter ideias sobre em quê focar.

Quando este exercício se tornar muito fácil para você, ajuste um pouco as coisas aumentando o volume da TV, colocando um programa favorito ou um que possa te distrair bastante (por exemplo, um DVD do seu artista favorito tocando uma parte diferente da mesma peça). Você também pode tentar tocar peças com as quais está menos familiarizado, ou aquelas com maior probabilidade de se distrair.

Use a TV como uma ferramenta de treinamento e você descobrirá que pode se concentrar no palco apesar de qualquer distração, com o pé nas costas.

O resumo de uma frase

“Qualquer homem que consegue dirigir com segurança enquanto beija uma garota bonita simplesmente não está dando ao beijo a atenção que merece.” ~ Albert Einstein

Achei esse quadrinho do Quino aqui

______________________________

Dr. Noa Kageyama é um violinista que resolveu partir para a área da Psicologia da Performance e hoje integra o corpo docente da Juilliard School e New World Symphony em Miami, além de ser convidado das principais instituições de ensino de música nos EUA, ensinando músicos como tocar o seu melhor sob pressão através de aulas ao vivo, treinos e um curso on-line.

Tradução autorizada, por Helena Piccazio.

Sem comentários:

Enviar um comentário